WINGS TRIP | Paris, a cidade luz, romântica e uma das mais visitadas no planeta

Por Neto Torres

Por Mariana Torres e Neto Torres

O destino desta edição é a capital de um dos países mais influentes na história do mundo, bem como a cidade mais visitada do planeta! Essa linda capital é dividida pelos Arrondissements, que nada mais são do que divisões municipais administrativas no mapa de Paris, ou seja, os bairros. A grande dica é que a maioria das atrações se encontram dentro do “Mapa Caracol”, onde ficam os bairros mais centrais e turísticos.  Em toda a nossa estadia na Cidade Luz, utilizamos o sistema público de transporte e trens de Paris e das redondezas, o qual funciona extremamente bem e é muito organizado. Fiquem ligados nos horários de início e término das linhas de transporte, e sugerimos os Night Buses para os turistas que gostam de curtir noite adentro. Chegamos em Paris em uma tarde nublada e fomos para a área do Quartier Latin, um dos bairros mais animados da capital da França, onde você encontra desde peixes até revistas de história em quadrinhos em uma única rua. Trata-se de um bairro muito visitado pelos estudantes e turistas, pois lá estão situadas a Sorbonne University, a famosa livraria Shakespeare & Company, o Jardim Botânico, o Museu de História Natural etc.

Como essa região é muito central, pudemos conhecer a majestosa Catedral de Notre Dame, a qual começou a ser construída em uma ilha chamada Ile de la Cité no século XII. Tivemos o grande privilégio de conhecê-la antes do acidente ocorrido e que lamentamos, junto com o mundo todo, ao vermos as imagens impressionantemente tristes do incêndio de 2019.

Existem dois lugares que não estão na lista de atrações famosas, porém sempre sugerimos aos nossos clientes e amigos. O primeiro é o Quartier Général, um restaurante simples, mas muito peculiar, com as paredes cheias de histórias em quadrinhos. Experimentamos alguns pratos que gostaríamos de sugerir para vocês. Começamos pelo suco de maçã verde amassada, seguido pelo Steak Tartare com mostarda Dijon e condimentos, e por último, mas não menos importante, um delicioso Croque Monsieur, que é o primo francês do nosso misto quente, no entanto com uma casquinha de queijo por fora.

E o segundo lugar é o restaurante e café Le LouLou, na Saint-Germain, onde passamos ótimos momentos regados a ótimos vinhos e que tem um cardápio bem interessante, com a conveniência de ficar próximo à estação de metrô de La Sorbonne. Não se trata de um restaurante muito requintado e, sim, de um café descontraído que utilizamos como parada estratégica.

Dois lugares que adoramos conhecer e sugerimos visitar é Mont Martre e a famosa basílica de Sacré-Cœur, dedicada ao Coração Sagrado de Jesus e que foi construída entre 1875 e 1914. Uma dica bem importante é se caso chegar por metrô, use o elevador para chegar até o funicular, pois a escada é enorme! Depois da nossa visita com uma das vistas mais belas de Paris, descemos todo o morro pelo jardim da basílica até chegarmos em um comércio superagitado, em ruas bem tradicionais, e pudemos provar o maravilhoso crepe francês em um restaurante simples, mas especialista no assunto #ficadica.

Tínhamos acabado de fazer o primeiro city tour da nossa viagem e o pacote incluía o passeio de Bateaux Mouche no final da tarde. É um passeio maravilhoso pelo Rio Sena, passando por vários pontos turísticos desde a catedral até a estátua da liberdade. O tour se torna ainda mais romântico em formato de jantar a bordo, o qual não foi o nosso caso. Para os que gostam de bebida alcoólica, sugiro que comprem champagnes na estação de embarque dos barcos.

Ao visitar Paris, você não pode deixar de conhecer o bairro LGBT Le Marais (“o pântano”). Foi definitivamente o bairro mais irreverente que já conhecemos em nossos grupos de viagens e vivenciamos o grande movimento que as ruas daquela região oferece. Como adoramos bares, fomos visitar o boteco mais famoso do bairro, o Le Cox, frequentado basicamente por homens.

O pacote que escolhemos nos dava direito à visitação da Torre Eiffel até o segundo andar, o qual recomendamos fortemente pela experiência única que esse ícone histórico nos proporcionou e seu visual incrível. Essa gigante de mais de 300 metros foi construída com 7 mil toneladas de ferro e em tempo recorde de dois anos, dois meses e cinco dias. Ela foi criada para comemorar o centenário da Revolução Francesa na Exposição Universal de 1889. A torre tem um restaurante com uma estrelas Michelin, sendo comandado por um chef três estrela Michelin, ou seja, o perfeito jantar mais romântico do mundo que vale cada euro investido.

Além disso, fomos surpreendidos por um pedido de casamento de Matias à sua namorada Naty, que ele vinha planejando desde a partida do seu país de origem, a Argentina. Um casal muito legal que estava em nosso grupo e que tivemos o prazer de conviver por alguns dias.

Uma das principais atrações da Cidade Luz é o Moulin Rouge, que consiste em um show cultural com mais de 80 artistas engajados em proporcionar uma noite encantadora aos visitantes. Uma perfeita união entre cantoras, dançarinas de burlesco e malabaristas, em um espetáculo que inclui performances até mesmo dentro de um aquário. Você pode adicionar o jantar e/ou bebidas à sua experiência e foi justamente o que fizemos em nossa visita a essa casa sensacional.

Em uma manhã fria, porém linda, fomos para a estação de trem mais perto do nosso hotel com destino a Versalhes e visitamos o Palácio, os Trianons e os jardins. A viagem durou cerca de 15 minutos e assim que chegamos nos deparamos com uma avenida linda que nos levou à entrada do Palácio. O Grand Trianon foi erguido por ordem de Luís XIV para fugir da rotina da corte e desfrutar seu relacionamento com a Madame de Montespan. Considerada uma das arquiteturas mais refinadas de Versalhes, o Grand Trianon é todo feito em mármore e possui um jardim impressionante. A outra construção que visitamos foi o Petit Trianon, que Luís XVI presenteou sua esposa Maria Antonieta, que o usava como refúgio e para suas festas particulares.

Cada pequeno palácio reserva seu jardim próprio, que no caso do Petit Trianon é um surpreendente jardim de rosas a céu aberto e situado dentro da construção! Lembre-se de comprar ingressos do tour completo, pois vale muito a pena conhecer os Trianons e seus jardins.

Na linha do trem em Chessy está a nossa querida Disneyland Paris, mais conhecida como EuroDisney, um destino que esperávamos ansiosos. Os dois parques, Disneyland e Walt Disney Studios, são um compacto dos quatro parques de Walt Disney World em Orlando, com detalhes inerentes à cultura, como por exemplo a atração do Ratatouille e a Toy Story PlayLand, criada antes do que em Orlando e onde experimentamos a montanha-russa do Slinky Dog em primeira mão em nossa visita de 2016.

A dica desse destino com certeza é chegar na primeira hora e curtir o dia todo, caminhar, curtir as atrações e o ambiente francês que cria a identidade Disney parisiense. Nossa segunda dica para você que vai visitar o mundo mágico é que fique atento ao pegar o trem correto, pois é um pouco confuso o sistema.

Estávamos muito curiosos para visitar o Museu do Louvre e tentar visualizar algumas das artes famosas expostas…… Para quem vai por amor à arte, sugerimos que fique o dia todo desbravando esse gigante da história da arte. Mas para turistas que vão para conhecer, a dica do destino é filtrar o máximo por assuntos e artistas que realmente interessam, porque, como o museu é enorme, fica muito fácil perder o foco.

Conhecido como o Hotel dos Inválidos, o Museu das Armas foi fundado como um hospital para soldados feridos, doentes ou idosos. Essa foi uma escolha muito feliz, pois o museu detém um acervo enorme de itens bélicos, desde armaduras e armas da França antiga até itens incríveis das duas Grandes Guerras Mundiais. Depois de um passeio surpreendente ao museu, visitamos a suntuosa sepultura de Napoleão Bonaparte I, situada na The Dome Church, logo na entrada do museu.

Um passeio totalmente alternativo que fizemos foi a visita ao Cemitério de Pere Lachaise, o que provavelmente é a maior coleção de talentos famosos do mundo. Visitamos alguns de nossos ídolos, como Jim Morrison, o vocalista da banda The Doors, que escutamos desde a nossa adolescência, Allan Kardec, Chopin etc.

No caminho do túmulo de Allan Kardec, por uma surpresa não tão agradável, nos deparamos com o Memorial do Air France 447, que caiu no mar com vários brasileiros; foi um choque e não conseguimos nos conter de emoção para cada família envolvida. Depois, visitamos o túmulo do pai do espiritualismo, que residiu e faleceu na Rue Sainte-Anne, no que hoje é um hotel chamado Baudelaire, que fomos conhecer durante a nossa estadia.

Um roteiro que aconselhamos é a Torre de Mont Parnasse, um prédio de 57 andares em seus 200 metros de altura, de cujo terraço você terá uma vista única da cidade e principalmente da Torre Eiffel. Escolhemos fazer esse passeio no fim da tarde, pois o pôr do sol em Paris visto de Mont Parnasse é uma das suas riquezas particulares.

Uma das coisas que mais nos chamou atenção em Paris foi que a cultura da leitura é muito presente na vida dos parisienses, porque em todos os lugares víamos pessoas lendo livros, principalmente nos transportes públicos e praças.

Essa dica também funciona muito bem: sempre comece uma conversa com um francês com um cumprimento na língua local, por exemplo “Bonjour”, isso provavelmente mudará a receptividade do francês quando você continuar o assunto em outra língua.

Como gostamos muito de filmes e passamos por muitos lugares, aqui vão algumas sugestões para assistir antes de ir para Paris: Meia-noite em Paris, O fabuloso destino de Amélie Poulain, Código Da Vinci, as séries Versalhes, Maria Antonieta, Allan Kardec. Todos eles fizeram de Paris um pouco mais especial e mágica quando visitamos!

Consulte sempre um agente de viagens especializado!

Você também vai gostar

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.