GEEKDOM | Quero ser Jane Fonda!

Por Deborah Peleias

... e nunca mais vou ver live de instagrammer influenciadora...

Por Deborah Peleias

Este ano foi o ano das lives, não foi? E ainda tem live de tudo! Um tipo que rolou muito foi o das atividades físicas, já que as pessoas, no início do isolamento social, estavam sedentárias e precisaram dos seus educadores físicos para voltarem à rotina de exercícios.

Mas você deve estar pensando: e daí? qual a novidade?

A novidade não é novidade, mas é que lá nos anos 1980 já havia essa forma de aula a distância para exercitar em casa. Eram os vídeos de ginástica. A pioneira nesse segmento foi a atriz Jane Fonda, que aproveitou a onda fitness para lançar seus vídeos em 1982, época em que também surgiu o videocassete. Depois de Jane Fonda, outros famosos aproveitaram a moda, como Cher, Mark Wahlberg, Cláudia Schiffer, Cindy Crawfor e até Chuck Norris… acredite se quiser!

E se você nunca assistiu a um vídeo Workout de Jane Fonda, acredite: ela malha pra caramba! Assista aqui abaixo:

Nos seus vídeos, Jane ensina uma rotina de 34 minutos totalmente aeróbica – cansa só de assistir -, o que explica a boa forma que ela mantém até hoje, à porta dos 83 anos! Ao todo, Jane Fonda lançou mais de 20 tipos de treinos, em VHS e DVD, e o último chegou às lojas em 2010, quando ela tinha 72 anos. Morra de inveja, instagrammer influenciadora!

Mas por que Jane Fonda nesta coluna?

Explico: depois de assistir à série Grace and Frankie, protagonizada por Jane Fonda e Lily Tomlin, comecei a pensar no destino das atrizes famosas que passaram dos 50-60 anos. Houve um tempo em que a vida profissional de uma atriz, principalmente no cinema hollywoodiano, acabava por volta dos 40 anos. No entanto, atrizes como Susan Sarandon, Diane Keaton, Madonna, Helen Mirren, Meryl Streep, Michelle Pfeiffer, Angela, Basset, Candice Bergen, Mary Steengurgen – amigas, a lista é longa, estas são apenas algumas que tenho acompanhado – quebraram o tabu e continuam atuando até hoje atuante em cinema, TV e séries – e a maioria mal esconde as rugas e os cabelos brancos.

Quando vejo estas mulheres na tela em pleno esplendor da terceira idade brilha em mim a chama da esperança de que um dia não haverá mais padrões de estética, física e sexual, para nós mulheres. Acredito que podemos, sim, sempre nos manifestar como somos, sem o medo de alguém apontar o dedo para uma ruga que nasceu junto com um novo dia das nossas vidas.

E para inspirar você que está lendo esta coluna até aqui, deixo sugestões de títulos disponíveis em streamings que a farão acreditar que a idade está realmente no corpo, mas é a alma que nos faz bonitas.

Um pouco sobre Jane Fonda

A atriz, filha do ator Henry Fonda e da socialite Frances Seymour Brokaw, nasceu em Nova York em 21 de dezembro de 1937, e iniciou a carreira no cinema em 1960. Ela estourou como sex symbol com os filmes Cat Ballou, de 1965, e Barbarella, de 1968 – aliás, o streaming do canal TNT tem vários filmes clássicos de Jane Fonda. Além de atriz, é escritora, ativista política e defensora do meio ambiente, modelo, empresária e estonteantemente linda, elegante e sexy!

Anota aí:

Grace and Frankie
Nossas noites
Do jeito que elas querem
Ela é a poderosa
Sete dias sem fim

(Vale um parêntesis aqui: até o final de 2019, Jane Fonda era presa todas as sextas-feiras, sabia? Ela resolveu seguir o exemplo de Greta Thunberg e instituiu as sextas-feiras como o dia de protesto em frente ao Capitólio, em Washington. Acompanhada de amigos como Rosanna Arquete e Ted Danson, eles gritavam chamamentos sobre a urgência da crise ambiental. Hahaha... adoro Jane Fonda!)

Você também vai gostar

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.