Infertilidade: Minha filha é meu maior sonho realizado

Por Revista AMORA

Dando continuidade às histórias de mulheres que passaram por essa experiência de fertilização, contamos hoje a da Karina Guedes. Acompanhe e emocione-se junto com a Amora

Como foi a busca pelo seu diagnóstico?

Eu estava há mais de cinco anos sem tomar qualquer remédio ou prevenir a gravidez de alguma forma e nada de engravidar. Foi quando, por indicação de uma amiga, resolvi buscar ajuda de uma clínica especializada em infertilidade e lá foram realizados vários exames. Sendo esses exames específicos e que nunca tinha realizado. Foi quando tive o diagnóstico e começamos o tratamento.

Na sua opinião, infertilidade é um diagnóstico solitário?

Sim, é algo que fica entre o casal, é difícil você sentar em uma roda de amigos e expor a sua dificuldade em engravidar. Depois quando se está grávida ou depois que nasce fica mais fácil falar. Mas enquanto se está buscando um diagnóstico, é algo que só o casal sabe e busca.

Qual a importância de buscar ajuda profissional?

A ajuda profissional é importante pois ele irá passar por exames específicos no qual chegará a um diagnóstico mais breve e assertivo.

Qual recado você daria aos casais que ainda estão sem seus filhos:

É uma caminhada que não é fácil, é dolorida pelos medicamentos pelo diagnóstico e também por cada etapa e angustiante aguardar o tão sonhado positivo, mas não desistam, pois depois vale a pena cada lágrima, cada desespero e cada negativo.  No meu caso, somente um embrião sobreviveu e eu sempre dizia que só precisava de um e ele veio. Foi minha primeira tentativa e era minha única chance. E deu certo. Minha filha é meu maior sonho realizado. Olho pra ela todos os dias e agradeço a Deus por me permitir ser mãe.

Você também vai gostar

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.