CONTA AÍ! | RAQUEL LOCALI CONTA COMO É VIVER NA AUSTRÁLIA

Por Revista AMORA

Raquel Locali, 35 anos, já está em união estável há três anos e meio com Matheus Simões, mas com apenas três meses de namoro decidiu se mudar para o outro lado do mundo, mais exatamente na Austrália. E ela diz que foi “a melhor loucura de nossas vidas!”. Eles moram em um lugar bem privilegiado no estado de Queensland, em um paraíso chamado Sunshine Coast, ainda pouco explorado por brasileiros, mas muito popular entre os australianos.

Raquel conta que atualmente está em processo de mudança para outra cidade, entrando de cabeça em uma viagem de mais de dois meses de moto, cruzando metade daquele país. “Com certeza, será mais uma das inesquecíveis experiências que vivi aqui na Austrália!”

Como é trabalhar na Austrália

Apesar de não estar mais trabalhando devido à mudança, a Austrália permitiu a Raquel atuar em diferentes áreas de trabalho, e nas quais nunca na vida imaginou que trabalharia. “Acredito que cada emprego que tive foi essencial para a minha evolução pessoal, para o meu aprendizado em relação à nova língua e para me fortalecer. Na minha jornada, trabalhei como camareira de hotel, manicure, cabeleireira, motorista de aplicativo e costureira! Tive a oportunidade de sentir na pele o dia a dia desses trabalhadores e conheci pessoas incríveis que levarei comigo como amigos para o resto da vida.”

Em um país em que mais da metade da população é imigrante, a Austrália é um país cheio de oportunidades de emprego, mesmo para quem acaba de chegar e ainda não tem inglês avançado. “Com o maior salário do mundo, aqui só não ganha dinheiro quem não quer trabalhar!”, ela diz, rindo. “Qualquer coisa que se faça é possível viver bem de uma forma geral! Pagar estudos, comer bem, morar bem, ter conforto. O fato de poder trabalhar mesmo com visto de estudante acredito ser um dos pontos mais atrativos também”, Raquel destaca.

Dificuldades enfrentadas

Raquel diz que “mudar para o exterior, principalmente quando não se fala inglês, é como nascer de novo. Ninguém o conhece, e de uma certa forma perde-se todas as referências! Então, é preciso aprender a falar, fazer amizades, encontrar seu lugar num mundo novo. Mas cada fase no processo de adaptação é uma conquista. Aos poucos as dificuldades vão diminuindo e vamos nos sentindo em casa!”.

Acontece que nem tudo são flores e assim como qualquer outro lugar a Austrália também tem algumas dificuldades. A principal delas, de acordo com Raquel, é a distância. “Infelizmente, não é tão simples e muito menos barato ir para o Brasil visitar a família ou receber amigos aqui. Acredito que seja o principal motivo para algumas pessoas desistirem de morar na Austrália para sempre. Claro que morando aqui temos mais condições financeiras de viajar para qualquer lugar, mas mesmo assim isso pesa bastante.”

Clima

O clima australiano é muito parecido com o do Brasil por ambos os países estarem localizados na mesma altura do globo e terem as estações do ano exatamente na mesma época.

“Mas também há diferenças climáticas como no Brasil. Por exemplo, as cidades mais famosas como Brisbane e Gold Coast localizadas mais ao norte são as mais quentes, e outras como Sydney, Melbourne, Adelaide e Tasmânia, mais ao sul, têm temperaturas mais baixas, ou seja, o clima é mais frio! Sem contar a água do mar que permanece mais geladinha quase o ano inteiro nessas regiões.” 

Diversão

“Morar aqui posso dizer que é vivenciar o melhor da vida, só que de graça! Fora dos grandes centros, a vida vai muito além de restaurantes! Todas as praias têm barbecues elétricas extremamente limpas para uso público e banheiros impecáveis. Parquinhos incríveis para crianças em todos os cantos. Piqueniques, passeios nos parques nacionais e muito contato com a natureza! Já nas grandes cidades vemos edificações arquitetônicas maravilhosas, o transporte público é excelente, tudo muito limpo e bem cuidado! Aqui, conseguimos perceber que os altos impostos que pagamos têm retorno para nós!”.

E sobre a opção de se mudar para o outro lado do mundo, Raquel diz que a “Austrália foi o primeiro, mas com certeza não será o último país onde quero morar. Sinto como se tivesse começado com o pé direito pelo melhor lugar do mundo, e tudo que vivo aqui de uma certa forma me prepara para uma vida que nunca imaginei possível, mas que agora faz parte de mim! Nota 1.000 para a minha tão amada Austrália!”.

Quer conhecer mais sobre essa aventura da Raquel? Siga ela no instagram:

Você também vai gostar

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.